Mercado Municipal

Inaugurado em 1902, reunindo os dois estabelecimentos do gênero que funcionavam na cidade, o Mercado Municipal dispõe de 54 boxes, 28 dos quais destinados a açougues, empórios, hortifrutigranjeiros, laticínios, peixarias, artesanatos e floriculturas, que atendem no atacado e varejo. Os demais 26 boxes, localizados no mezanino, comercializam antiguidades. Regularmente, há apresentações culturais, eventos, festas e festivais.

Com  4.500 m², o mercado conta também como uma agência dos Correios,  Infocentro Acessa SP (computadores e internet gratuita), Escola do Choro Luizinho 7 Cordas, Secretaria de Segurança Pública e com a sede local do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No segundo prédio, estão o Restaurante Popular Bom Prato, uma escola municipal, posto  da Guarda Municipal, Projeto Cine Querô, Policlínica da Vila Nova e a Vila Criativa (oficinas de inclusão produtiva).

 

 

 

 

Arquitetura

O estilo acastelado original do Mercado Municipal deu lugar à arquitetura protomoderna em 1947, quando o prédio foi reconstruído, obedecendo ao projeto do engenheiro José Maria Silva Neves, considerado o mais importante arquiteto modernista paulista nos anos 1930. Oito anos depois, ganhou  o segundo andar, um pavilhão de pescado e as características arquitetônicas atuais.

Bacia do Mercado

Atrás do centro de abastecimento está a Bacia do Mercado, formada pelo Rio do Soldado, que desemboca no Canal do Estuário e serve como via de navegação para as catraias. Essas pequenas embarcações são responsáveis pela travessia de passageiros entre Santos e Vicente de Carvalho, distrito de Guarujá. No trajeto de 800m – parte dele por baixo de avenidas e armazéns -, coberto em cerca de sete minutos, é possível ver bem de perto os navios no porto. Originalmente, ali atracavam as barcas que traziam a produção agrícola e pecuária para abastecer a cidade.