Busca

Centro Histórico

O bulevar da Rua XV de Novembro foi o cenário escolhido para o lançamento oficial do 1º Festival Nacional do Choro de Santos, que terá início nesta quinta (21), trazendo o melhor de um dos ritmos mais genuínos da música brasileira. Ao som de integrantes do Clube de Choro de Santos, a curta solenidade contou com a presença do prefeito Paulo Alexandre Barbosa, autoridades municipais e fãs da música.
         
Um dos mais entusiasmados durante o lançamento, era o grande homenageado do festival, o músico Luizinho 7 Cordas. "Posso dizer que hoje sou a pessoa mais feliz do mundo com esta homenagem", declarou o artista que está próximo de completar 70 anos, mais de 50 deles dedicados ao choro.
         
A alegria pela realização da primeira edição do festival na cidade era compartilhada pelo o presidente do Clube do Choro de Santos, Marcello Laranja. "É muito mais do que realizar um evento. Tudo isso é a realização de um sonho. O festival será o grande presente de aniversário do clube, que vai completar 14 anos neste sábado".
         
Já o prefeito Paulo Alexandre Barbosa ressaltou a importância do festival no contexto turístico e cultural da cidade. "Estamos valorizando a cultura da cidade e o Centro Histórico, criando cada vez mais opções de lazer gratuitas para os santistas e aos turistas que virão a Santos durante o feriado".  
        
Música e lazer
Durante quatro dias, o evento vai reunir artistas consagrados e revelações do choro, em 13 apresentações gratuitas, realizadas em diferentes pontos da cidade. Além do grande homenageado, Luizinho 7 Cordas, estão confirmados shows de Izaias do Bandolim & Seus Chorões, mais antigo grupo instrumental de São Paulo, dos mineiros do Chora Genésio e de Agnaldo Luz, representando a nova safra da música.
 

Grupos da Baixada também fazem parte da programação, como o Aqui Tem Choro, o Pra que Chorar e os alunos da Escola de Choro e Cidadania Luizinho 7 Cordas. A atração internacional fica a cargo do maestro americano Jonh Berman, que mistura o choro com jazz.
        
O festival também terá opções de gastronomia, diversão e boas opções de compras, no sábado (23), das 11h às 17h na Praça Mauá, com projeto 'Feijão com Arte', que contará com feira de artes, antiguidades e artesanato, exposição de carros antigos e a participar de 10 restaurantes, oferecendo a tradicional feijoada.
 

No domingo (24), das 13h às 17h, a criançada poderá se divertir na edição especial do Bonde Brincar, com passeios pelos trilhos do Centro Histórico, atividades monitoradas pelos alunos da Faculdade de Educação da Física da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes) e os brinquedos da Rua de Lazer.
        
Oficinas

Outra atração do festival são as oficinas instrumentais e de drinks. Luizinho 7 Cordas vai ministrar oficina de violão;  Agnaldo Luz, de bandolim; Gustavo Cândido, de cavaquinho; e o músico José Simonian será responsável pela oficina de sax e flauta. Ainda como parte da programação, o professor do curso de Gastronomia da Unisantos Rodrigo Anunciato vai ministrar a oficina de caipirinha.
 

Homenagem
Grande homenageado do festival, Luiz Araújo Amorim, o Luizinho 7 Cordas, nasceu em Marília (SP), mas é santista de coração. Vencedor do Festival de Choro da Rede Bandeirantes de Televisão, em 1977, consolidou sua fama de exímio violonista ao longo das décadas.

         
Considerado um dos melhores violonistas em atividade no Brasil, desde 2011, Luizinho dá nome a uma escola de música, surgida graças a uma parceria entre a Prefeitura e o Clube do Choro de Santos, que já atendeu mais de 100 crianças e adolescentes de 9 a 17 anos.
 

O 1º Festival Nacional do Choro de Santos é uma realização da Prefeitura e do Clube do Choro de Santos, com apoio do Sesc, Associação dos Artistas, UniSantos, Oficinas Culturais do Estado de São Paulo e governo estadual.

Foram exatos 100 minutos de virtuosismo, sensibilidade, talento e bom humor na abertura oficial do I Festival Nacional do Choro de Santos, quinta à noite (21), no Teatro Guarany. Para um plateia lotada, o quinteto de Agnaldo Luz arrasou com músicas autorais e clássicos de Jacob do Bandolim, Pixinguinha, Patrocínio Gomes, João dos Santos e José Toledo, entre outros.
         
Começou agora, no Clube do Choro de Santos (Bulevar da Rua XV de Novembro, 68, Centro Histórico), oficina musical com Luizinho 7 Cordas, atividade reprisada à tarde, das 14h às 17h, com Agnaldo Luz, no bandolim, e Gustavo Cândido, no cavaquinho. Já às 17h, tem início a Oficina de Caipirinha, coordenada pelo chef Rodrigo Anunciato, no Estação Bistrô Restaurante-escola.
 
A partir das 18h, o Grupo Aqui tem Choro apresenta-se no palco do bulevar com a Rua do Comércio, onde, duas horas depois, tem Isaías do Bandolim & Seus Chorões. Amanhã (23), a programação começa às 11h, com passeio de bonde ao som do Grupo Pra Que Chorar & Pedro Ramos, com saída da Estação do Valongo.
 
Até às 17h, vale conferir as atrações do Centro com Arte, que envolve feira de artes e antiguidades, gastronomia e carros antigos na Praça Mauá. No palco do bulevar, a partir das 14h, o grupo mineiro Chora Genésio e depois, John Bermn & Choroblues Quartet, dos Estados Unidos. Às 18h, Aleh Ferreira & Choro de Bolso, na praça do Aquário, e, uma hora depois, Ibys Maceioh & Grupo Sonoroso, na concha acústica do canal 3. Toda a programação, que prossegue até domingo (24) é gratuita.
 
Espetacular

O quinteto foi entusiasticamente aplaudido pelo público, quinta à noite, no Teatro Guarany, e até mesmo crianças assistiram, atentas, à apresentação de Agnaldo Luiz no bandolim e violão; Marcelo Monserrat, violão de sete cordas; Ricardo Cassis, violão de seis cordas; Gustavo Càndido, cavaquinho, e Pedrinho Pita, no pandeiro.
 
Luizinho 7 cordas, o homenageado da primeira edição do festival, se juntou depois ao grupo, para a interpretação de oito peças do repertório nacional. O público não saiu da plateia até garantir um bis. E ouviu nada menos que Teu Aniversário, de Pixinguinha, antecipando as comemorações ao patrono do festival, que em outubro completa 70 anos.

Uma equipe da TV estatal da República Tcheca esteve em Santos neste sábado (8), para gravação do programa Sumne Stopy, abordando aspectos da arquitetura do Centro Histórico, do porto e contando um pouco da história do empresário tcheco Jan Antonin Bata.
 
Sumne Stopy é uma série de sucesso na República Tcheca e fala sobre arquitetura e cultura. Após a gravação de 66 episódios em território tcheco, a equipe do programa começou a viajar pelo mundo, para mostrar as similaridades entre a arquitetura tcheca e de outras nações. Bósnia, Croácia, Eslovênia, Japão e Argentina foram alguns dos países já visitados. No Brasil, além de Santos, haverá gravações em Curitiba, São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro e Salvador.
 
O apresentador, David Vavra, elogiou o fato de diversas construções estarem preservadas na cidade. “Estas edificações possuem um charme que os prédios novos não têm”. Na opinião de Vavra, que também é arquiteto, o toque nostálgico do Centro Histórico desperta um sentimento especial. “Quando as pessoas 'respiram' o passado, elas se sentem melhor”. 
 
Já o diretor do programa, Radovan Lipus, disse que a escolha por Santos tem tudo a ver com a série. “Aqui existe um ambiente europeu, diferente de outras cidades. Sem contar que, quando olhamos para construções, sabemos que a história do Brasil se passou neste lugar”. Lipus confidenciou também um motivo pessoal para vir à cidade. “Sou apaixonado por café. Por isso, vamos gravar no Museu do Café e aproveitar um pouco”.
          
Porto
Além das imagens captadas nas ruas do Centro e no Museu do Café, com direito a uma parada para o almoço no Estação Bistrô restaurante-escola, a equipe de TV também gravou a movimentação do porto. Era pelo cais santista que chegavam parte da mão de obra e as matérias-primas utilizadas nas fábricas do empresário Jan Antonin Bata.
        
O tcheco chegou ao Brasil em 1941, fugindo da repressão nazista na Europa. Dono de fábricas em todo o mundo, Bata instalou a sede central de suas empresas no interior de São Paulo. Especializado no ramo de calçados, o empresário foi responsável pela fundação das cidades de Batatuba (SP), Mariápolis (SP), Bataguassu (MS) e Batayporã (MS).

No domingo (27), das 14h às 17h, a Secretaria de Turismo (Setur) promove a edição de setembro do Bonde Brincar, com o tema ‘Brincadeiras de Infância’, na Estação do Valongo (Largo Marquês de Monte Alegre, 2).
 
Repetindo o sucesso da edição de agosto, pais e filhos poderão brincar juntos de ping-pong, pebolim, amarelinha, cantigas de roda, pula corda, queimada e muitas outras atividades. Todas as brincadeiras contarão com monitoria de alunos do curso de Educação Física da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes).
 
Também na Estação do Valongo, o bonde camarão partirá para animados passeios pelas ruas do Centro Histórico, com mais brincadeiras, decoração especial e a presença do palhaço Saracura. Os valores das passagens são: R$ 6,00 (inteira), R$ 3,00 (para maiores de 60 anos e estudantes) e grátis (para crianças até 5 anos).
 
O Bonde Brincar conta com o apoio da Secretaria de Esportes (Semes) e da Guarda Municipal. 
 
Linha turística 
Os passeios regulares da Linha Turística do Bonde partindo da Praça Mauá acontecerão normalmente, das 11h às 17h. 
 
Serviço:
Bonde Brincar
Domingo (27), das 14h às 17h
Estação do Valongo (Largo Marquês de Monte Alegre, 2, Valongo)
Ingressos para o bonde R$ 6,00 (inteira), R$ 3,00 (para maiores de 60 anos e estudantes) e grátis (para crianças até 5 anos).
As demais atividades são gratuitas.

Arame, material reciclado e chapa laminada de alumínio foram as matérias primas usadas pelo artista Laércio Alves para a exposição Releitura do Patrimônio Cultural de Santos. A mostra está sendo realizada na Casa do Trem Bélico (Rua Tiro Onze, 11, Centro Histórico), e a visitação, gratuita, pode ser feita de terça a domingo, das 11h às 17h.
 
O artista produziu peças em miniaturas de monumentos da cidade, como o da Imigração Japonesa, Pescador, Monumento Braz Cubas, e o Surfista. A exposição segue até o dia 18 de outubro, e tem o objetivo de exaltar o valor histórico e a beleza dos monumentos.
 
O artista
Formado em Desenho Artístico e Cenografia, Laércio Alves nasceu em Rio Claro, mas reside em Santos. Começou a trabalhar com arame em 1997. Em 2010 produziu uma escultura do Pelé durante a Copa do Mundo, e desde então o futebol tem sido uma de suas inspirações. O artista é conhecido pelo apuramento técnico, riqueza em detalhes e autenticidade.

Local de nascimento da cidade, fundada pelo português Braz Cubas – imortalizado com a estátua na Praça da República, a primeira erguida em Santos – o Centro Histórico, que completou oficialmente 11 anos nesta terça-feira, oferece inúmeras opções de passeio aos turistas e também aos munícipes que desejam conhecer melhor essa importante região do município.

 

Símbolo da revitalização do local ocorrida na última década, a Linha Turística do Bonde encanta os passageiros em seus quase cinco quilômetros de extensão, com direito a autênticas aulas ministradas pelos guias de turismo que acompanham o passeio e oferecem informações sobre a arquitetura, história e demais curiosidades do percurso.

 

Inaugurado há 72 anos, o Palácio José Bonifácio, na Praça Mauá, é a sede do Poder Executivo, com linhas clássicas e acabamento em mármore de Carrara. É possível conhecer o local, por meio de visitas monitoradas, e apreciar a riqueza arquitetônica do edifício.

 

A fé também marca presença no Centro Histórico, que abriga igrejas e templos de varias religiões, destacando-se a Catedral, o Conjunto do Carmo, com a Ordem Primeira e Ordem Terceira, o Santuário Santo Antônio do Valongo, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, o Santuário de Nossa Senhora do Monte Serrat, reaberto no último domingo, além do Museu de Arte Sacra.

 

Para os apreciadores de um bom cafezinho, a pedida é visitar a Bolsa Oficial de Café, onde é possível conhecer a história do produto na cidade no Museu do Café, instalado no local, além de admirar os painéis e vitrais confeccionados por Benedicto Calixto.

 

Do alto do Monte Serrat, os visitantes têm ampla visão da cidade, a 157 metros do nível do mar, sendo que o acesso pode ser realizado pelo bondinho, que funciona sobre trilhos em sistema funicular, ou pela escadaria, que possui 415 degraus e 14 nichos com representações da Via Sacra.

 

O Patriarca da Independência, José Bonifácio, tem no Pantheon dos Andradas uma homenagem do povo santista ao seu vasto trabalho nos mais diversos campos do conhecimento. O prédio é o jazigo onde estão seus restos mortais, ao lado de seus irmãos Antônio Carlos, Martim Francisco e Padre Patrício Manuel.

 

Várias ruas do Centro transpiram história, como a do Comércio, que abriga a Casa da Frontaria Azulejada, e a emblemática Rua XV de Novembro, com sua importância comercial devido ao período áureo cafeeiro, que merecem visita do público.

 

O Centro Histórico, cuja face está voltada ao passado, também mira para o futuro, com a expectativa de crescimento comercial e turístico com as construções, no Valongo, da nova sede da Unidade de Exploração e Produção de Gás e Petróleo da Bacia de Santos, da Petrobras, e do Museu Pelé, que está sendo erguido nas ruínas dos Casarões do Valongo.

 

Para terminar, retornemos ao princípio: o Outeiro de Santa Catarina, marco da fundação da Vila de Santos, onde foi erguido no século XVI, por Luis Góis e sua esposa, a Capela de Santa Catarina de Alexandria. No local (Rua Visconde do Rio Branco, nº 48) está instalada atualmente a sede da Fundação Arquivo e Memória de Santos.

 

Clique aqui para obter mais detalhes dos equipamentos e atrações turísticas do Centro Histórico: http://www.turismosantos.com.br/ptb/categoria/categorias-do-guia/locais/ir/atracoes-em-santos/centro-historico

Quem gosta de boa música e de ritmos variados não pode perder a segunda edição do projeto Música no Bulevar, a ser realizado domingo (24), das 10 às 14h, na esquina das ruas do Comércio e XV de Novembro. A iniciativa é do restaurante Quinta da XV e conta com o apoio da Setur (Secretaria de Turismo) e de outros estabelecimentos, que também abrirão as portas, como a Cafeteria Naumann Gepp, que oferecerá degustação gratuita do produto comercializado pela empresa, e os restaurantes Largo do Café e Café Central. O evento, gratuito, estará suspenso em caso de chuva.

         A programação terá início com o Rancho Folclórico Madeirense, do Morro São Bento, que levará 40 componentes para mostrar um pouco do folclore e das tradições portuguesas. Em seguida, será a vez do trio de MPB e Fado, formado pelo tecladista Jaime Augusto, o trompetista Cláudio Ricardo e a vocalista Carla Lemos, que interpretará fados e canções contemporâneas do repertório lusitano.

         A programação será encerrada após a apresentação do Quarteto Carobandé, marcada para as 13h, que mostrará de música erudita até Bossa Nova, passando pelo chorinho, MPB, baião e tango.O grupo é integrado por Marcos Canduta (violão), Débora Gozzoli (flauta), Rossana Gomieiro (violoncelo) e Ulisses Nicolai (violino).

 

 

Ampla área coberta para espera do embarque, ambiente climatizado para compra de passagens, sanitários, cafeteria e mais tempo para curtir outras atrações turísticas do Centro Histórico. Bons motivos não faltam para realização dos embarques da Linha Turística do Bonde na Estação do Valongo. 
         
Desde a implementação da iniciativa da Secretaria de Turismo (Setur), que completou um ano na última semana, os passageiros do bonde passaram a contar com um área coberta de aproximadamente 400 m², que protegem os visitantes tanto nos dias mais quentes quanto nos chuvosos. 
         
A bilheteria instalada no Museu Pelé oferece área climatizada para compra dos ingressos, onde também estão uma cafeteria e sanitários. Para quem deseja aproveitar outra atração turística enquanto aguarda a saída do bonde, as opções são a visita gratuita ao Santuário do Valongo ou adquirir uma entrada para o próprio Museu Pelé.
         
“Santos é muito quente nessa época do ano. Ter um espaço climatizado é muito bom”, declarou a secretária Heloisa Moraes, que trouxe os tios e primos vindos da cidade de Brasilândia (MS) para passear de bonde. “Estamos aproveitando o tempo de espera para colocar a conversa em dia”, afirmou a professora Denise Moraes, na cafeteria do Museu Pelé.  
 
Operacional - Do ponto de vista operacional, a proximidade do ponto de embarque com a garagem onde acontece a manutenção dos elétricos trouxe mais agilidade na tomada de decisões da equipe da CET, responsável pelo funcionamento dos veículos, e eventual troca de bondes quando necessário. 
         
Em levantamento realizado pela Seção de Pesquisa Turística da Setur, em 2016, junto a 300 passageiros da linha turística, indicou 85% de aprovação dos turistas. 
 
Serviço - A Linha Turística do Bonde funciona de terça a domingo, das 10h às 17h, com saídas da Estação do Valongo (Largo Marquês Monte Alegre, 2, Valongo). A venda de ingressos é feita na bilheteria do Museu Pelé (Largo Marquês de Monte Alegre, 1, Valongo), das 10h às 16h30. 
         
O valor da passagem é R$ 6,50. Maiores de 60 anos, professores e estudantes têm direito a meia-entrada, e crianças até 5 anos não pagam.

Italianos, alemães, argentinos, chilenos e ingleses invadiram a cidade na manhã desta quinta-feira (23). Os passageiros do navio Celebrity Cruises (Infinity) desembarcaram em Santos, por volta das 8 horas, e logo tomaram assento nos ônibus das agências de turismo receptivo e táxis da cidade.
         
A Linha Turística do Bonde, Museu Pelé, Museu do Café, Orquidário e o Memorial das Conquistas do Santos FC foram os pontos turísticos mais procurados pelos turistas. Uma única agência de turismo receptivo vendeu mais de 300 passeios. Os 2.159 passageiros do Celebrity Cruises partem de Santos, na noite desta quinta, com destino a Ilhabela.
         
Nesta sexta-feira (24), os cais santista recebe o navio Fascinosa (Costa).

O processo de revitalização do Centro Histórico, hoje um grande atrativo turístico, e o pioneirismo de Santos em iniciativas de resgate sócio-cultural, a exemplo do Programa Vovô Sabe-tudo, foram destaques do 2º Seminário Brasileiro de Urbanismo, Paisagismo, Arborização Urbana e Turismo Sustentável (Urbverde 2010), realizado semana passada, na cidade de Itapema, em Santa Catarina. Santos e Bauru foram as únicas cidades paulistas no evento, que contou com cerca de 300 participantes, entre técnicos e profissionais das áreas envolvidas, secretários e vereadores de cidades das diferentes regiões brasileiras, além de deputados federais e prefeitos.

Sob o tema Desenvolvimento Urbanístico e Paisagístico, Promoções do Turismo Sustentável: Políticas e Diretrizes Municipais nas regiões Sudeste e Nordeste, a conferência da representação santista, a cargo de profissionais da Setur (Secretaria de Turismo), recebeu a conotação de ‘especial’e norteou as discussões da mesa-redonda com deputados estaduais e federais, realizada na sequência. A apresentação santista contou com apoio de recursos audiovisuais: “As imagens e a apresentação de balanço das iniciativas motivaram bastante os participantes, que buscaram detalhes operacionais e resultados da experiência santista para apresentar em seus municípios”, comentaram os técnicos da Setur, satisfeitos com o interesse despertado.

 

          

Da simplicidade do jogo de botão ao futebol virtual, do surgimento do futebol no Brasil ao vexame do 7x1, dos primeiros campos de várzea em Santos às glórias do alvinegro da Vila Belmiro. A partir desta terça-feira (12), os santistas e turistas ganharam mais uma atração que promete encantar os amantes do esporte mais popular do planeta, com abertura da exposição ‘Museu do Futebol Na Área’.
         
Santos é a terceira cidade a receber a mostra, que ficará montada no térreo do Museu Pelé até 10 de abril, com entrada gratuita, proporcionando aos visitantes o encontro único entre o acervo do atleta do século e do Museu do Futebol. "Há muito tempo que desejávamos trazer a exposição para Santos, pela ligação que cidade tem com futebol. Para se ter uma ideia, a única cidade que possui clubes fundadores da Federação Paulista de Futebol, tirando a capital, é Santos", declarou Daniela Alfonsi, diretora de conteúdo do Museu do Futebol.
  
Lugar ideal
A abertura da exposição contou com a presença do prefeito Paulo Alexandre Barbosa e do secretário da Cultura do Estado, Marcelo Mattos Araújo, entre outras autoridades. "O público vai ficar fascinado com que irá encontrar na exposição. O Museu do Futebol é um sucesso de público e não há melhor lugar para esta mostra do que o Museu Pelé", afirmou o prefeito.
         
Além das autoridades, uma presença ilustre não passou despercebido aos olhares mais atentos. Do alto dos seus 76 anos de vida, oito deles desfilando seu talento no 'ataque dos sonhos' do Santos FC, o craque Mengálvio olhava serenamente as imagens da exposição. "Fico feliz quando posso rever a minha história e dos meus companheiros de time".
  
História e interatividade
A exposição reproduz seis espaços do Museu do Futebol. O primeiro deles é um tour pelo Estádio do Pacaembu e algumas das salas do museu. Em seguida, na Sala das Origens, apresenta-se a trajetória da chegada do futebol no Brasil, com Charles Miller. Nesta área também estão imagens históricas do futebol em Santos.
 
Em seguida, o visitante encontra a Sala dos Números e Curiosidades, com recordes, regras do jogo, frases famosas, vídeos e vitrines com objetos, mesa de futebol de botão e pebolim para todos brincarem. Na sequência, o visitante vai se emocionar com a instalação Versus: experiência que consiste em acompanhar uma partida inteira somente observando os torcedores de Corinthians x Palmeiras.
 
No módulo Gols, o visitante pode relembrar gols importantes da história do futebol recontados por 27 jornalistas esportivos, e na Sala do Rádio, locuções clássicas dos anos 1930 aos anos 2000, que estão disponíveis em multimídias touch screen. A história das Copas do Mundo, desde a criação até o famoso “7 a 1” de 2014, estará retratada com fotos e um vídeo especialmente editado para a mostra. Completa a visita, o Centro de Referência do Futebol Brasileiro (CRFB), área do museu responsável pela pesquisa e documentação do acervo.
 
Serviço
Exposição itinerante Museu do Futebol na Área
Local: Museu Pelé - Largo Marquês de Monte Alegre 1 - Valongo
De 12 de janeiro a 10 de abril
Horário: Terça a domingo, das 10h às 18h (entrada até 17h)
Aberto também às segundas-feiras até o dia 8/2
Preço:grátis. A visitação ao acervo do Museu Pelé custa R$ 9,00, preço promocional válido até o Carnaval.

O Centro Histórico terá um sábado bem movimentado com realização do projeto Feijão com Arte e do Festival Nacional do Choro de Santos. Os frequentadores da feira de artes, artesanato e antiguidades na Praça Mauá,  das 11h às 17h, terão a disposição produtos feitos com papelaria artesanal, moda exclusiva, artigos em palha de bananeira, fotografias artísticas, peças de decoração, bordados e suvenires da cidade.
          
Na praça também estarão expostos carros que marcam época e que até hoje encantam os aficcionados por automóveis. Na mostra, o público poderá matar as saudades ou ter o primeiro contato com raridades em quatro rodas, na exposição promovida pelo Clube de Automóveis Antigos de Santos.
         
Para matar a fome, os restaurantes Florença, Jamblan, Bodegaia, Largo do Café, Mauá, Porto Brasil, Café Paulista, Tasca do Porto, Boteco do Café e Allegra Café vão servir a tradicional feijoada, com variadas opções de tamanhos e preços.
  
Choro
O sábado no Centro Histórico terá também muita música, com as atrações do Festival Nacional do Choro de Santos. Na programação do dia, às 11h, haverá passeios de bonde ao som do grupo ‘Pra Quê Chorar & Pedro Ramos’. Já às 14 horas, no palco montado na Rua XV de Novembro, apresenta-se o grupo mineiro ‘Chora Genésio’.
        
Às 16 horas, no mesmo local, o maestro americano Jonh Berman, acompanhado pelos músicos da Choroblues Quartet, mostra um pouco de sua inusitada mistura de choro, jazz e ritmos caribenhos.
 
A programação completa do Festival Nacional do Choro de Santos pode ser conferida em www.turismosantos.com.br.
  
Serviço
Feira de artes, artesanato e antiguidades
Sábado, das 11h às 17h, na Praça Mauá

A hora do almoço desta quarta-feira (23) foi bastante movimentada no Centro Histórico, onde centenas de pessoas lotaram a Rua do Comércio para participar das gravações do reality show ‘Food Truck – A Batalha’, exibido no canal pago GNT, saboreando os pratos preparados pelos participantes do programa.
 
Logo pela manhã, dois food trucks estacionaram em frente à Casa da Frontaria Azulejada, onde as equipes dos chefs Hélio Marques (do Restaurante Lions) e Lucas di Santo (da Tratoria Trianon), preparavam os pratos que seriam vendidos para o público.
 
Perto do meio-dia, as filas começaram a se formar diante das duas caminhonetes, aumentado ainda mais a expectativa das equipes participantes e de seus mentores, Márcio Silva e Adolfo Schaefer, donos de restaurantes na capital. “Estou impressionado! Sem dúvida, é a maior fila que tivemos nesta segunda temporada”, garantiu Schaefer. “A presença do grande público é a prova que os santistas estão buscando novidades”, completou Silva.
 
Pontualmente às 12h30, começaram as vendas dos pratos, para delírio do público, que podia escolher entre duas opções: pernil com barbecue de café, vinagre de salsão, tost de pão sírio e especiarias, preparado pela equipe de Lucas di Santos; ou fusilli ao vinho tinto e café, com frango ao shoyu e legumes, preprado pelo time de Hélio Marquês.
 
Quem vende mais?
Durante duas horas, centenas de pessoas passaram pelos dois foods trucks, e a maioria aprovou o que comeu. “Vim da Ponta da Praia só para comer aqui. Valeu a pena a experiência”, elogiou a artista plástica Cláudia Casas, enquanto degustava o pernil. “Apesar de ser uma massa, o macarrão está leve e bem preparado”, opinou o analista de controladoria, Fernando Pupo Mercias, que estava acompanhado da esposa e dois filhos, saboreando o fusilli.
 
Com final das vendas, as duas equipes contabilizaram quanto foi arrecadado. A definição do vencedor da disputa é simples, ganha que vendeu mais. Como prêmio, o time campeão leva todo o dinheiro ganho no dia, inclusive o faturamento da equipe adversária.
 
O resultado da ‘batalha’ desta quarta-feira será exibido em março de 2016, durante a segunda temporada do reality. A produção do programa contou com a parceria da Secretaria de Turismo (Setur) e a iniciativa faz parte do Setembro Criativo.

Um grupo de estudantes de engenharia civil da Universidade Técnica de Darmstadt, na Alemanha, está em Santos como parte de uma viagem de intercâmbio ao Brasil, que já percorreu as cidades de Guaratinguetá (SP) e o Rio de Janeiro. A visita à cidade, que termina no sábado (5), se deu graças a uma parceria entre a instituição alemã e a Universidade Estadual Paulista (Unesp).
         
Na manhã desta quinta-feira (3), vinte e seis estudantes e dois professores germânicos assitiram palestras ministradas por professores da Universidade Católica de Santos (Unisantos). Por volta das 13h, o grupo almoçou no Estação Bistrô restaurante-escola, e logo depois, seguiu para alguns pontos turísticos do Centro Histórico.
         
O grupo passou pelo Santuário de Santo Antônio do Valongo, Casa da Frontaria Azulejada, Boulevard da Rua XV de Novembro, Museu do Café, e por fim, passearam na Linha Turística do Bonde. O tour foi monitorado em alemão, pelo guia da Setur, Nelson Carrera.
         
“Santos é uma cidade muito positiva, que possui grande potencial turístico, econômico e ambiental”, comentou o professor da universidade de Darmstadt, Lothar Ruf, justificando a escolha da cidade para visita do grupo. Nesta sexta-feira (4), os estudantes alemães vão conhecer o Porto de Santos.

O patrimônio existente no Centro Histórico e o Programa Vovô Sabe-tudo, de valorização da terceira idade, impressionaram o jornalista alemão Robin Daniel Frommer, que hoje pela manhã (17) encerrou um roteiro de cinco dias na cidade. Escrevendo para diversos jornais da Alemanha e editor-chefe da Revista Brasilien Magazine, ele chegou a Santos na quinta-feira à noite e visitou, além das atrações da orla e da região central,  o Santos Futebol Clube, terminal de passageiros do Concais, igrejas, danceterias, Engenho de São Jorge dos Erasmos e a área continental, onde fez duas trilhas. Durante todo o roteiro, ele esteve acompanhado de guias de turismo da Setur.

         Para ele, Santos tem um grande potencial turístico. “Mas, infelizmente, na minha terra, a cidade não é muito conhecida, sitação que espero ajudar a mudar”, comentou.  Na próxima temporada de cruzeiros marítimos, que começa em 8 de outubro, Santos receberá navios da operadora alemã Aida, que incluiu o Brasil, pela primeira vez, em seus roteirios.

Na opinião de Frommer, “Santos é um exemplo do Brasil clássico, com destaque para o Centro”, e elogiou o Vovô Sabe-tudo. “Foi o que mais me impressionou, pois temos muito poucas iniciativas com esse perfil, na Europa, voltadas aos idosos”, comentou. Ele também destacou o trabalho de recuperação dos bondes, que conheceu nas oficinas da CET, onde visitou a carpintaria e surpreendeu-se com uma máquina de quase cem anos, chamada de serra-de-fita, que corta madeira. O interesse do jornalista pelos bondes santistas surgiu a partir de um vídeo que assistiu na internet.

         O jornalista destacou, ainda, o fato de ter encontrado, em Santos, pessoas prestativas e de braços abertos. “O motivo que leva os alemães a visitar o Brasil não são as praias ou suas atrações, mas o calor humano e o jeito de acolher, típico dos brasileiros”.

 

 

 

“Meu coração, não sei por que. Bate feliz, quando te ver...”. Ao som de Carinhoso - talvez a mais preciosa das pérolas deixadas por Pixinguinha para música popular brasileira - a Linha Turística do Bonde promoveu um passeio diferente, na tarde deste sábado (23), como parte da programação do Festival Nacional do Choro de Santos.
         
Integrantes do grupo 'Pra que Chorar', acompanhados do músico Pedro Ramos e de alunos da Escola de Choro e Cidadania Luizinho 7 Cordas, animaram o tour pelo Centro Histórico tocando outros clássicos, como Noite Carioca, Naquela Mesa e Proezas de Solon, para um privilegiada e animada plateia, de dentro e de fora do veículo.
            
“A gente está acostumado a tocar no palco, onde o público fica mais longe. Aqui no bonde todo mundo se mistura, e as pessoas que estão do lado de fora acenam e interagem também”, declarou a jovem flautista Verônica Alves Ribeiro. A gestora social, Celia Lima, fã declarada do choro, adorou o passeio: “O chorinho e bonde se completam. A gente fica com gosto de quero mais”.
 
Feira
Quem foi ao Centro Histórico neste sábado, além de curtir as apresentações e oficinas do Festival Nacional do Choro de Santos, também pode conferir a exposição de carros antigos, comer uma boa feijoada e fazer compras em uma das 28 barraquinhas da feira do projeto Feijão com Arte.
         
Acompanhada de oito pessoas, entre familiares e amigos, a turista de Jundiaí Lilian Villarroel disse que o grupo optou por passear no Centro Histórico, mesmo com o dia ensolarado, depois de uma democrática votação: “Escolhemos o aqui por achar teremos mais opções de coisas para fazer”. Assim que chegou à Praça Mauá, a comerciante comprou lenços para enfeitar a cabeça. “Os artigos da feira são lindos e fui muito bem atendida”.        
 
Outras atrações
O festival tem ainda como atrações deste sábado, Dia Nacional do Choro, os shows do grupo mineiro Chora Genésio e do maestro americano John Berman & Choroblues Quartet, no bulevar da Rua VX de Novembro. Já na Praça Luiz La Scala será realizado o tradicional Chorinho no Aquário, às 18h, com Aleh Ferreira & Choro de Bolso.
         
E para terminar o dia em que também se celebram os 119 anos de nascimento de Pixinguinha, a Concha Acústica será palco para Ibys Maceioh & Grupo Sonoroso, às 19h.
 
Encerramento
Neste domingo (24), último dia do evento, a programação será aberta às 13h, com a edição especial do Bonde Brincar, que será realizada até as 17h, com animados passeios pelo Centro Histórico, atividades monitoradas pelos alunos da Faculdade de Educação Física da Unimes e os brinquedos e jogos da Rua de Lazer.
         
Das 14h às 17, na sede do Clube do Choro, o músico José Simonian, ministra oficina de sax e flauta. Às 18h, Cristóvão Bastos presta uma homenagem musical aos mestres do choro, com participação especial de Maurício Carrilho. Para esta apresentação os convites começam a ser distribuídos a partir das 10h, na bilheteria do Sesc.
         
Já às 19 h, Osvaldinho do Cavaco & grupo se apresenta na Concha Acústica. Para fechar com chave de ouro ofestival, no Teatro Guarany, às 20h30, os alunos da Escola de Choro e Cidadania Luizinho 7 Cordas fazem show, com participações especiais Rafaella Laranja e Jorge Maciel. Para esta apresentação, os convites podem ser retirados a partir das 20h, no próprio teatro.
         
O 1º Festival Nacional do Choro de Santos é uma realização da prefeitura e do Clube do Choro de Santos, com apoio do Sesc, Associação dos Artistas, Unisantos, Oficinas Culturais do Estado de São Paulo e Governo do Estado de São Paulo.

Santos foi ‘invadida’, ontem (sexta), por cerca de mil turistas em trânsito no navio Norwegian Sun (operadora NCL), que chegou no início da manhã, em sua primeira viagem ao Brasil – eram franceses, norte-americanos, mexicanos, canadenses, espanhóis, japoneses, indianos, israelenses e sul-africanos, entre muitas outras nacionalidades. 
 
Hoje (sábado), pela primeira vez nesta temporada, atracam dois transatlânticos: Sovereign (Soberano, da Pullmantur) e Preziosa (MSC), que já estiveram na cidade nesta temporada. Já na segunda-feira, chega o Marina (Ocean Cruises), em sua única passagem pelo porto local.
 
De acordo com o Concais, empresa que administra o Terminal Marítimo de Passageiros Giusfredo Santini, o Norwegian Sun tem 1.461 passageiros em trânsito, desembarcou cinco hóspedes e embarcou 47 para o roteiro que começou em Punta del Este (Uruguai) e segue para Ilha Grande (RJ) – ele retorna a Santos no próximo dia 17.
 
Centro
Durante todo o dia, os turistas estrangeiros ocuparam todos os lugares dos elétricos da Linha Turística do Bonde (circulou até com o reboque 38, aumentando a capacidade de 45 para 90 passageiros por viagem, totalizando cerca de 400 pessoas), passearam no funicular Monte Serrat (“o movimento aumentou 40% em relação às sextas-feiras”, afirmou José Ozores, proprietário do equipamento), conheceram o Museu do Café (fechou o dia com 540 visitantes) e o Museu Pelé (160 ingressos contabilizados, sem contar o público do lobby).
 
Orquidário, Memorial das Conquistas do Santos Futebol Clube e o Centro Histórico foram os locais escolhidos por cerca de 350 cruzeiristas que contrataram city tours com a Central de Fretes – a empresa santista de turismo receptivo reservou seis vans, três ônibus e dois micro-ônibus para atender os passageiros do navio de bandeira bahamense. Outros três ônibus seguiram para São Paulo.
 
Muitos estrangeiros decidiram conhecer a cidade por conta própria e, com mapas fornecidos pela Setur (Secretaria de Turismo) e seguindo a sinalização turística, visitaram equipamentos e pontos históricos, sobretudo no Centro. Cerca de 1.500 mapas em inglês e espanhol foram fornecidos pelos  recepcionistas bilíngues do PIT (Posto de Informações Turísticas) instalado pela secretaria no terminal de passageiros do Concais.
 
Hoje 
Procedentes de Ilhabela (SP) e Búzios (RJ), respectivamente, os navios Preziosa e  Sovereign retornam hoje (sábado) a Santos, com cerca de 4.200 e 2.200 passageiros. O primeiro segue para cruzeiros de seis noites rumo a Salvador (BA), enquanto o Sovereign parte para minicruzeiro de quatro noites para o litoral do Rio de Janeiro.

Accor
Nove diretores e gerentes comerciais de hotéis em São Paulo da rede Accor estiveram em Santos, ontem (9), para uma visita técnica. Após reuniões de trabalho, eles conheceram o Centro Histórico, passearam no Bonde Café e visitaram o Museu do Café.

Objetos que faziam parte do cotidiano na antiga Hospedaria de Imigrantes do Braz, como máquinas de escrever, ventiladores, tinteiros, prendedores de papel estão expostos no Museu do Café (Rua XV de Novembro, 95 - Centro Histórico). A mostra segue até o dia 9 de novembro.
 

São 16 objetos que integram a exposição Imigrantes do Café. Sete deles foram trazidos do Museu da Imigração e nove são do próprio equipamento de Santos, como rastelo, peneira, vassoura de terreiro, além de bule, objetos referentes às etapas de cultivo do café. A exposição também conta com fotografias e depoimentos relacionados ao trabalho dos imigrantes nas fazendas de café.

  

As peças transportadas para a cidade tiverem um cuidado especial. Os profissionais que acompanharam o deslocamento fizeram um registro fotográfico e avaliaram seu estado até chegarem ao Museu do Café. Depois de desembalados, os objetos foram higienizados e acondicionados em salas controladas por termohigrômetro para monitorar a temperatura e umidade do ambiente.
 

O Museu do Café funciona de terça a sábado das 9h às 17h, e aos domingos das 10h às 17h. Os ingressos custam R$6,00, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Aos sábados, a visitação é gratuita.

Que tal contemplar a beleza histórica e arquitetônica do Centro Histórico ao som de boa música? Mesclando variados estilos musicais, com destaque para a MPB, o saxofonista Roberto Bendas e o violonista Robertinho Gomes se apresentam neste domingo no projeto 'Música no Bonde'. A dupla participa da Linha Turística do Bonde, que tem saída da Praça Mauá, entre 11h e 14h.
O passeio, que conta com acompanhamento de guia de turismo da Secretaria de Turismo, percorre cerca de 40 locais de interesse cultural, turístico e histórico.  A passagem custa R$ 5,00. Informações pelo Disk Tour 0800 17 38 87.

O Projeto Celebra - Música no Centro, que valoriza os artistas da cidade e leva entretenimento gratuito às pessoas no Centro Histórico, foi aprovado pela população. A estreia ocorreu sexta (26), com o show do grupo Lobão Quartet, que lotou a Praça Mauá.
 
A iniciativa, parceria da prefeitura, por meio da Secretaria de Cultura (Secult), com as empresas Tecondi e Termares, será realizada sempre às sextas-feiras, das 12h30 às 14h, no mesmo local. Na próxima semana, o destaque do Música no Centro é o Medusa Trio, que toca clássicos do rock.
Info.: (55 13) 3226-8000.

Fui e gostei
Veja a opinião de quem já visitou a cidade e aproveitou para valer!

01/01/2011 - Visitante
Centro Histórico
Orla

Maravilhoso. É uma riqueza histórica

24/11/2010 - Visitante
Orla da praia e jardins

O por do sol, na Ponta da Praia, é fantástico. Fazendo caminhada, batendo um papo...

09/03/2011 - Visitante
Orla da praia e jardins

Parabéns, sou santista de coração ,moro na cidade há 15 anos, adoro...

24/07/2011 - Visitante
Museu da Pesca

nasci em santos, vim para são paulo, mas aqui com mais de trinta anos ainda não me...