Notícias

17/ 11/ 2018

Virada Cultural começa com Orquestra Filarmônica Jovem

A Sala do Pregão, no Museu do Café, ficou pequena para o público que apreciou, na tarde deste sábado (17), a Orquestra Filarmônica Jovem da Baixada Santista, abrindo a programação da Virada Cultural Santos 2018. Formada há cerca de um ano e meio, a orquestra atraiu também a atenção de grande número de turistas, em visita ao Centro Histórico.

“É uma bela surpresa. A gente não esperava assistir à apresentação de uma orquestra durante a visita ao Museu do Café”, comentou Ana Luíza Vasques de Lima, de Guaratinguetá (SP), que optou por Santos para passar o feriadão com a família. Com dois filhos e o marido, ela já havia aproveitado a praia pela manhã e começou a programação da tarde com um passeio na Linha Turística do Bonde.

PROGRAMA

O maestro Ásafe Soter abriu o programa com a cantata Nun komm, der Heiden Heiland (na tradução, ‘Agora venha, Salvador dos gentios’), de Johann Sebastian Bach, seguindo-se Intermezzo & Barcarolle, de Jacques Offenbach, e Ballade Opus 118, nº 3, de Johannes Brahms.

O concerto foi entremeado por explicações do maestro sobre as peças e os compositores, como no caso da valsa de Dmitri Shostakovitch, bastante utilizada em comerciais e filmes. “É uma música cinematográfica”, resumiu Soter.

A orquestra interpretou ainda Ária Cigana, de Pablo Sarasate, tendo como solista, ao violino, Ulisses Nicolai; A Lenda do Caboclo, de Heitor Villa-Lobos, e Fantasia do Tico-tico no Fubá, de autoria de Adriel Verçosa, compositor da orquestra sinfônica, sobre peça original de Zequinha de Abreu. Batuque, de Lorenzo Fernandes, e Corta-jaca, de Chiquinha Gonzaga, encerraram o programa.