Casa da Frontaria Azulejada

Uma das mais significativas obras arquitetônicas de Santos, a Casa da Frontaria Azulejada foi construída em 1865 para residência e armazém do comendador português Manoel Joaquim Ferreira Netto. O prédio, com dois pavimentos, ficou conhecido por sua fachada de influência neoclássica, formada por azulejos em alto-relevo importados de Portugal. Concebida em forma de ‘U’, a construção tinha a abertura voltada para o porto. Com o passar dos anos o sobrado passou a ser utilizado como escritório, hotel, armazém de cargas e, por fim, como depósito de adubos químicos. Em 1973 foi tombado em nível federal, o que provocou seu abandono definitivo. Anos mais tarde, vieram também os tombamentos pelo estado e município.